História

O Padre Teodoro Ratisbonne fundara a Congregação de Nossa Senhora de Sion na França em meados do século dezenove.

Seu irmão, Afonso, logo se juntou a ele neste projeto. Os dois irmãos vinham de uma família judia de Estrasburgo, na França, e ambos tinham em si certa atração pela cidade de Jerusalém.

Padre Maria (assim era chamado o Padre Afonso) chegou a Jerusalem em 1855, onde, menos de um ano depois, já recebia as primeiras Irmãs de Sion. Pouco a pouco, apesar de incontáveis contrariedades, e fazendo muitas viagens a Europa para angariar fundos, Padre Maria foi construindo três casas em Jerusalém, incluindo esta nossa de Ein Kerem em 1861.

O monastério primeiro serviu para acolher meninas que tinham ficado órfãs no massacre sofrido pelos cristãos no Líbano em 1860. O local também serviu o vilarejo de Ein Kerem como escola e centro caritativo.

Em 1948, o Monastério começou um serviço de hospedaria, acolhendo cristãos, judeus e muçulmanos em um espírito de abertura e hospitalidade.

Hoje em dia, uma comunidade de Irmãs e Irmãos de Nossa Senhora de Sion vive aqui, ajudando a acolher as pessoas que vem para a hospedaria e para visitar os jardins. Através de seu serviço de silêncio e oração, as Irmãs Contemplativas colaboram com este ministério de acolhida.